Televisión

Quiero hablar de televisión.

Vamos lá:

-Não, eu não acompanhei a porcaria novela Fina Estampa. Mas confesso que vi o último capítulo. Afinal, era o último capítulo. Se a última cena foi um ridículo aceno de Griselda para a vilã com uma ferramenta, ao menos o Aguinaldão não mostrou o dono dos pés e ainda fez referência a Tieta. Essa parte foi interessante.

-Até hoje, não entendo porque tanta gente tem tanto bebê em fim de novela. Ter criança nunca é fim… é só o começo.

-Vai ter Ídolos Kids? Com o Cássio Reis? Aquele que deu foras no Oscar na TNT? Desisto.

-Sim, Avenida Brasil tem tudo para ser uma grande novela. Mas acho que Vidas Opostas vai atrapalhar um pouquinho. Aqui em casa vai ter uma briga: eu quero acompanhar a nova novela da Globo, pelo menos para dar uma chance de ser fisgado… mas minha mãe não vai querer perder a reprise da Record. Eita nóis.

-Após anos na geladeira da Globo, Chico Anysio precisou morrer para ter homenagens e exibições especiais. É sempre assim.

 

Anúncios

rapidinho

–Ok Ok, vocês venceram. Batata Frita? Não. Mas tem espíritos na novela da Elisabeth Jhin. Sorry. Foi mal. Falha minha.

–Estou fazendo o curso de Linguagem e Crítica Cinematográfica do Pablo Villaça. É excelente.

Não sabe quem é Pablo Villaça? tsc tsc…

 

–Só um breve comentário nesta semana corrida e sem tempo: Vidas Opostas vai retornar na Record e eu achei ótimo. Ainda tenho dúvidas se ela segura a audiência atual do CSI, mas é o que veremos. A novela foi ótima, não só pelo texto excelente de Marcílio Morais, mas também pela trilha sonora de Chico Buarque.