De volta à velha forma

Um dia a gente melhora. Por enquanto o blog vai ficar com esse layout simples mesmo.

Finalmente, um fim de semana tranquilo. Sem ficar até altas horas fora de casa. Há tempo pra tudo. Inclusive pra “settle down”… (algumas expressões não existem em português)…

Aos poucos, quero voltar a falar de TV. Pode? Daquele jeito que eu gosto:

1- Essa história do Rafinha Bastos cansou. Não quero mais saber se ele vai comer alguém e se ele causou mal estar porque quis pedir demissão. Ele nem é tudo isso pra valer a pena perdermos nosso precioso tempo. Dá vontade de chamar a Cristiane Torloni pra dizer pra ele: “Time is money, bebê”.

2- E o tal do Pan não foi o sucesso todo que prometia. Claro que erraram em algumas coisas e exageraram em outras. Mas daí a achar que mesmo assim a audiência estava garantida, é muita ingenuidade. Esporte nunca foi campeão de audiência (nem o futebol consegue isso direito). E falando no assunto: foi impressão minha ou proibiram a repórter de dar um segundo abraço no Thiago Pereira? Informalidade tem limite, né não? –Ah, é, tem mais uma semana.

3- Falando em Pan, tô a fim de criar a hashtag #calabocaalvarojose. Alguém tá comigo?

4- Estão malhando a Malhação. A concorrência, o horário e a própria Globo, que não entendeu que tudo nessa vida tem um fim. Das duas, uma: ou cria uma novela mais infantil, ou muda o nome e faz mais um horário normal de novela.

5- Tiago Santiago disse que não vai mais fazer novela adulta… mas como ele pode “não mais” fazer uma coisa que nunca fez?

6- Pro Miguel Falabella, uma novela tem que ter “aquele beijo”. Só espero que ele se lembre que uma novela também precisa ter “aquela trama”… Taí! Já sei qual vai ser o título da minha novela quando eu fizer uma. Com licença que eu vou correr pra registrar.