Fátima e as comparações

Não vi quase nada do novo programa da Fátima Bernardes. Sei que foi bem de audiência, mas acredito que isso aconteceu por causa da estreia. Depois, a audiência deve se acomodar um pouco.

Me peguei pensando nas comparações. Muitos disseram que ela quer “ser a Oprah”. Outros disseram que foi uma mistura de Silvia Poppovic com Casos de Família com sei lá o quê.

Mas o que é isso, minha gente? Um programa sobre temas variados, conversas e debates, não tem como ser realmente inovador. É claro que o programa vai lembrar um pouco outros que tem por aí.

É interessante como sempre tentamos comparar as coisas: um filme é “mistura de filme X com filme Y”. O novo programa é uma tentativa de ser isso com pitadas daquilo. Você é o seu pai com os olhos da sua mãe… e por aí vai.

Concordo que o visual deveria ser mais “clean” e mais claro. Fica parecendo programa noturno sendo reprisado.

Também não estou me isentando das comparações. Eu também comparo muita coisa.

De qualquer maneira, vamos ver o que o tempo vai dizer deste programa que tirou os desenhos da Globo.

Anúncios

um pouquinho de TV

Disseram que o Mark Zuckerberg não tem televisão em sua casa. Duvido. Ele tem dinheiro pra comprar tantas TVs, acho que uma em algum canto ele deve ter, mesmo que não assista.

Excentricidades à parte, a TV brasileira está passando por um período de mudanças, que bem pode ser temporário (ou não). Audiência da Record despencando, SBT e Band conseguem alcançar bons patamares. Aliás, a Record conseguiu a façanha de “escolher” o pior momento para passar por fase ruim na audiência: bem às vésperas das Olimpíadas e justamente quando a Globo passa pelo seu melhor momento em novelas: as três principais novelas da Globo conquistam forte audiência graças à qualidade que apresentam (“Ex mai love” é música “líndja de Deus”). Malhação não conta (e passou do tempo de ser cancelada).

O Programa de Fátima: disseram que as coisas esfriaram na produção do programa, já que a audiência pulverizada impediria um super sucesso do programa de Fátima Bernardes. Também acho que a audiência da Fátima seria boa por um período e depois cairia. Juntanto com Ana Maria Braga, ainda correria-se o risco de coincidirem pautas muito parecidas, ou então o programa da Fátima poderia virar um telejornal matutino. Sem desenhos na Globo, a audiência da criançada irá se voltar totalmente para o SBT, único a exibir desenhos infantis no horário, e com (quase) certeza ele seria o grande líder de audiência pelas manhãs.

– A Fox Sports vai dar muito trabalho para a ESPN. Quiçá ao SporTV também.

– E o Saturday Night Live da RedeTV! já tem faturamento digno de Pânico. Vamos ver como vai ser de audiência.

– Juro que, depois de ouvir uns papos de que a Hebe poderia ir pra Record, eu até que gostei da ideia. Sei lá. Imaginei um quadro semanal chamado “Sofá da Hebe” no Hoje em Dia. Será que mais alguém pensou nisso?

– E sobre o caso da CPI do Cachoeira, eu acho que alguns jornalistas fazer tempestade em copo d’água. Claro que não era certo que o bicheiro comandasse a pauta da revista mais lida do país (e que revistinha vagaba, hein?). Mas já passou da hora de os grandes grupos de mídia admitirem que cada um tem suas tendências políticas. O jornalista Rodrigo Vianna (da Record) “desce a lenha” no posicionamento da Veja em relação ao Carlinhos “Cataratas”: OK, ele está certo e cumpre com sua obrigação de jornalista. Mas aí eu me pergunto: e se um dia acontecer algum escândalo envolvendo a Record, a Igreja (sabe quela?), dízimos e partidos políticos… o que será que ele vai falar?

Como diria Millôr Fernandes: “Jornalismo é oposição. O resto é armazém de secos e molhados”.

Pois é.

Coisas que só o Curyoso escreve pra você (aham, Cláudia…)

Luiz Eduardo Baptista, da SKY, “meteu o pau” na Fox por conta do canal Fox Sports. De acordo com a coluna da Cristina Padiglione no Estadão, o executivo criticou o preço que a Fox quer cobrar, e ainda disse que a FoxSports é  um convidado que pediu pelo convite 15 dias antes da festa.

Ok, tá explicado.

Março tá chegando e, com isso, a nova programação dos canais. Vamos ver o que vem por aí.

E eu ainda não sei o que esperar do novo programa da Fátima Bernardes. Não consigo imaginar a senhora Bonner como uma nova Ana Maria Braga…

Não é só de Fox Sports que vive a TV por assinatura. o TBS, do grupo Turner, deve chegar pelo menos na NET em Abril. O mesmo vai acontecer com o Gloob, novo canal Globosat, voltado para programação infantil.

O curioso é que qualquer canal, quando chega, garante um número que tem por lá. Mas a chegada do Gloob vai fazer a SKY e a NET mudarem diversos canais no line-up para poder colocar o Gloob em algum lugar de destaque. Provavelmente ele vai ficar grudadinho nos canais como Cartoon Network e Discovery Kids, líderes entre as crianças. Tem coisas que só a Globo consegue fazer.

No ESTADÃO de hoje: uma foto das gravações de “Máscaras” e a seguinte frase:

“O diretor Ignácio Coqueiro acerta detalhes tão pequenos de nós dois com a bela Gisele Itié e Nicola Siri, mas isso não é um cruzeiro do Roverto Carlos”

WTF?

Enfim… coisas que só a Cristina Padiglione escreve pra você.

Vamos ao que interessa

tio Will e tia Paty

Sou a favor da mudança no Jornal Nacional. Acho que a Fátima vai se sair bem na nova função (de manhã, ao que parece), e a Patrícia Poeta pode trazer novas cores ao jornalístico mais assistido da América do Sul… (estou concluindo que é, embora nunca tenha visto dados que comprovem).

A Band pode fazer um ótimo negócio (a longo prazo!) em tirar o programa religioso exibido na faixa nobre. Mas são bem enrolados.

O cinema de Itu está exibindo somente filmes “infantis”. Tem o do vampiro, do Gato de Botas, dos Muppets e um de natal. Tudo bem que já começaram as férias escolares e eles precisam de dinheiro. Mas poderia criar uma alternativa um pouco mehor pra quem valoriza o preço do ingresso.

Li no Flávio Ricco sobre o retorno do roteirista Renê Belmonte à Record… lá ele diz que o autor não estará mais na novela Rebelde, e sim em uma nova série. Considerando que já tem uma do Marcílio Moraes em andamento, achei legal saber que há um investimento nesse tipo de produto. Vamos ver o que sai por aí (e quando!).

O telecine vai estrear a animação Enrolados, filme que foi indicado ao Oscar. É mais conhecido como o filme que o Luciano Huck cagou dublou mal.

Sabe o que eu preciso fazer? Aprender uma receita de bolo em italiano. Pra quê? Hmmm, é complicado.

Essa minissérie Brado Retumbante, da Globo, tá me cheirando muito bem. Tipo o bolo de chocolate que a minha mãe faz. Se o resultado final for compatível (com o bolo!), acho “super válido”.