O desaprendiz

 

Ainda na onda do deselegante, ontem assisti ao Desaprendiz. Utilizo o prefixo porque a coisa ficou feia.

Edição acelerada até demais. João Dória tentando se fazer de malvado com seu penteado de gel… ou seja, nada a ver.

Mas o pior de tudo foi a apresentação dos perosnagens. O telespectador precisa se identificar com eles (mesmo que pessoas reais, ainda sim são personagens de um jogo). Com a apresentação de personagens mais rápida da história dos reality shows, fica complicado sentir qualquer afinidade por algum deles. Dessa maneira, não há afinidade com o programa em si.

Pior ainda foi começar com a prova de resistência, no afã de conseguir audiência de quem é ávido por ação. Esqueceram que a prova de resistência só funciona quando já conhecemos os personagens e com uma edição um pouco mais calma.

Será que vai continuar assim?

Anúncios

Comentários desnecessários e deselegantes

A Monalisa Perrone foi atropelada por pessoas estúpidas. Que deselegante! Realmente, é caso de polícia. E pra quê?

Pior que isso, só as pessoas impressionantemente imbecis que acham bom o fato de Lula estar com câncer.

E a grande maioria das pessoas hipócritas, que querem que Lula faça o tratamento pelo SUS, são as primeiras que correriam para o Sírio Libanês caso tivessem câncer e dinheiro ou plano de saúde.

São as mesmas pessoas que não sabem que, mesmo com todas as deficiências da saúde pública no Brasil, os “Hospitais de Clínicas” de São Paulo, Campinas e Belo Horizonte estão entre os melhores hospitais públicos do mundo.

Essa coisa de “trollar” tudo o que surge por aí só mostra como o ser humano é maldoso e prefere gastar tempo emanando energias negativas que positivas. A maioria desses internautas é formada por adolescentes inúteis e adultos desocupados… todos, pessoas vazias.

Todo mundo já sabe que somos 7 BILHÕES de pessoas no mundo (isso é gente pra caralho!). Infelizmente, desconfio que 50% dessas pessoas são provavelmente desnecessários e certamente deselegantes.