Público infantil é sazonal? Ou: porque o SBT não deveria fazer Chiquititas

O sucesso de Carrossel foi tão grande que o SBT ficou inebriado. Já está preparando uma nova versão de Chiquititas para substituir a trupe da professora Helena.

Mas recentemente a audiência da novela tem mostrado que o público infantil se cansa desse tipo de produto. Não que a audiência de Carrossel esteja ruim, muito pelo contrário. Vai bem, apesar de algumas quedas denunciarem um certo cansaço.

Nem Freud consegue explicar ou entender o público infantil. Ao mesmo tempo  que ele é carente de boas produções na TV – recentemente, a Record, que não vai bem das pernas, conseguiu primeiro lugar de audiência com Pica-Pau, provando isso – as crianças parecem viver de temporadas. Assistem a uma novela por um tempo e depois se cansam. Se não terminarem Carrossel logo, a coisa pode piorar. E eu não coloco muita fé em Chiquititas… pelo menos não para bombar em audiência, já que pode chegar para um público cansado.

É difícil conquistar as crianças, e quando se as conquista, o público fiel garante bons resultados. Mas é preciso ter cuidado. A própria Record cancelou Rebelde por audiência baixa.

Será que as crianças não preferem uma série de TV, com temporadas mais espaçadas?

Fica a pergunta.

Nana Gouvêa e as maravilhas do mundo contemporâneo

Muitos dizem que o mundo está perdido. Uns acreditam que ele vai acabar em Dezembro, sabe-se lá qual data. Outros acham que começa a era de Aquário (o que quer que signifique isso). Outros acham que o amor está acabando e as pessoas vivem na era do egoísmo.

Mas o fato é que, quando surgem memes da Nana Gouvêa, nossos corações se enchem de alegria. Isso é prova de que o mundo tem salvação.

Afinal, onde houver um desastre, Nana estará lá.

Para entender tudo direitinho, clique aqui.

As pessoas também não podem deixar de visitar o nanagouveaemdesastres.tumblr.com

Mas eu quero colocar as melhores aqui no blog… Continuar lendo

Compartilhados no “fêice”

Vivemos a era do Facebook. Talvez Bauman já previu isso. Facebook é líquido, tal qual a modernidade que nos atinge. Tudo é agora, pra já. Com um clique, ou um toque no tablet, compartilhamos e curtimos o que aparecer. Não precisa memorizar, refletir, resguardar, inferir… basta clicar.

Para comentar, talvez sejam necessários alguns toques a mais do que um simples clique. No fundo, é a mesma coisa.

Resolvi retornar às imagens mais recentes que compartilhei no Facebook. Não lembrava de muitas delas. Foi apenas um clique, uma passada de olho. Um sorriso, e pronto. Passou, vamos para a próxima. É tudo imagem… e com letra grande.

adoro esse tipo de trocadilho… quando ele é metido a culto, fica melhor ainda

Essa foi ideia minha. Quem é jornalista ou diagramador e precisa se preocupar com “imagem de banco”, é divertido. Mas é um tipo de piada besta que sai da minha cabeça (ainda bem que não sou humorista)

 

Chove muito em Itu. E não precisa de apresentador de Reality Show pra dizer isso. Outro dia desses, choveu tanto que fizeram essa imagem. Coisa do Flash Fanzine Itu. Achei legal. É a regionalização do meme, ou a memetização do regionalizado.

 

Piada-trocadilho do tipo que me faz rir. Sou um tolo, eu o sei. Mas rio. Sou um tolo feliz.

Pequenos posts, grandes tuitadas

1- Nada como uma excelente aula. Com boa discussão, cérebro fervilhando. A aula termina mais tarde e nem percebemos. E quando saio desse tipo de aula, tenho a certeza de que estou no caminho certo.

2- Só sei que nada sei. E quanto mais estudo, mais tenho a convicção de que pouco sei. Será que isso só acontece na área de humanas? Talvez quem estude nas áreas de exatas ou biológicas talvez sinta que está chegando a algum lugar. Mas nunca passei por essa experiência.

3- Nada como um feriadão em uma chácara, entre festas de formatura, para desligar dos problemas mundanos. Depois, voltamos à realidade. Se não renovados, ao menos mais felizes.

4- Chove muito em Itu? Chove mesmice. Ou não. Conforme tuitaram por aí: Carelli fez curso com produtores do BB-UK. Certo ou errado?

5- As pessoas não sabem quem escreveu Hamlet. Ah, querida involução.

6- Não sei o que é pior: escolher entre Serra e Haddad ou entre Obama e Romney. Felizmente, não precisei fazer nenhuma dessas escolhas. Oh yes.