Qual o limite do flood?

Twitter e Facebook vieram pra ficar. Inicialmente, as redes sociais tinham perguntas mais específicas, como “O que você está fazendo?”, “O que está acontecendo?”, ou algo semelhante. Com o tempo, as pessoas passaram a dizer muito mais do que somente o que está acontecendo, fazendo, etc. Tanto Facebook e Twitter viraram um verdadeiro “mural de colégio” totalmente livre e abrangente para (praticamente) o mundo todo.

E com isso, as pessoas insistem em “tuitar” ou atualizar o status sempre que vêem algo interessante, divertido, bonitinho, ou que querem compartilhar.

Sim, as pessoas tem todo o direito de atualizar e postar o que quiserem e o quanto quiserem. Quem não gosta, pode cancelar assinatura, dar unfollow, ou qualquer outra coisa do tipo.

Mas acredito que, por uma questão de etiqueta, é necessário saber dos limites para isso. Não entendo como Glória Khalil ou Fábio Arruda ainda não escreveram sobre isso (será que eu consigo sair na frente?).

Quando alguém escreve demais, chamamos de flood. E como o português é uma língua forte, nós já tomamos a palavra para nós e já criamos o verbo floodar (lindo isso, né? a línguagem).

Falta as pessoas aprenderem que o flood não é legal. Ninguém precisa postar nas redes sociais toda vez que vai ao banheiro, se chateia no trabalho, solta pum, come chocolate, etc. Ninguém precisa dar bom dia, boa tarde e boa noite o tempo todo… isso é só pra quando você encontra alguém pessoalmente. Talvez ainda aconteça porque hoje nós ainda “entramos” na internet, ou seja, trabalhamos/estudamos o dia todo e depois nos conectamos, como se a internet fosse uma sala de estar mundial. Em alguns anos, estaremos todos conectados 24h por dia, pelo celular, TV, tablets, microondas, etc, e ninguém precisará “entrar” na internet.

Faceebook/Twitter e afins não são sucursais religiosas. Portanto, deixe para louvar ao seu deus quando for à igreja. Obviamente, uma pessoa tem o direito de expressar sua crença na web, mas ultimamente as pessoas vem exagerando muito nisso, como se orar através da rede trouxesse mais benefícios do que na solidão do quarto.

O mesmo acontece para sites, links, blogs e informações importantes, curiosas, pertinentes ou engraçadas: se todo mundo for curtir, compartilhar, comentar ou tuitar toda e qualquer notícia que lê, vamos entrar em colapso mental por excesso de informação.

Não existe regra, muito menos lei. Mas o limite do flood nas redes sociais é o bom senso.

Anúncios

Um comentário em “Qual o limite do flood?

  1. FABIOTV disse:

    Olá, tudo bem? Eu confesso que não sei mexer no facebook haha.. No twitter, começo a entender.. Eu gostava mesmo do orkut kkkkkk (até hoje eu uso).. Abraços, Fabio http://www.fabiotv.zip.net ps: agradeço pelo toque sobre as vírgulas.. Estou sem tempo até para revisar os meus textos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s