Boatos

O Rafinha Bastos vai pra Fox Sports? O que ele faria lá? Na verdade, tudo indica que ele vai ao FX, onde ele tem um “novo projeto”. Novo projeto tem cara de coisa de ex-BBB, mas depois de “comer ela e o bebê”, o humorista tá mais ou menos no mesmo nível. Faria sentido que ele tivesse um programa de esportes: ele tem um blog de MMA (não achei… passa o link?) e foi jogador de basquete nos Estados Unidos. Vale lembrar que o FX vai precisar produzir algo nacional para aquela lei.

E disseram que a RecordNews seria tirada do ar. Se o boato/fofoca procede, não sei. Só sei que o canal de notícias do grupo Record tem muito a melhorar. Precisa de mais equipes de reportagem, mais investimento em programas atraentes (não, reprisar matérias da Record não é atraente), e apostar no público do interior, que assiste mais do que o da capital. Apostar em transmissões esportivas também é bom para manter o público das Olimpíadas.

Anúncios

Tá tudo muito intenso

Nos  últimos dias, fiquei espantado com a intensidade como as coisas acontecem. Com a orkutização do Facebook (é oficial, ele já é o líder das redes sociais no Brasil), fica ainda pior.

Tudo é levado à potência máxima. A mocinha do BBB vai dar explicações à polícia, o Bial vai ser substituído pelo Leifert (QUÊ?), o Nascimento falou coisas sobre isso no jornal do SBT (tem jornal lá? Ah, verdade), e enquanto isso o Teló invade as Europas…

todo mundo se revolta, faz passeata online, protesto na nuvem, coloca bâner ridículo no status (porque ninguém quer escrever, e sim colocar um quadrado preto com alguns dizeres clichês e memes desenhados para parecer cult).

Acalmem-se! Parem essa porra toda! Não priemos cânico! Dadinho é o caralho!

Não é o fim do mundo que critiquem reality show ou que assistam a eles ou que foi estupro ou que não foi ou que foi o que não foi ou que o jornalista criticou ou que o raio nos parta. Mas fazem tempestade em copo d’água. Tornam tudo muito intenso, como se fosse tudo definitivo, sem remédio, eterno. Justo quando vivemos o líquido, o efêmero, o passageiro.

Menos. Por favor.

Vai ocupar a cabeça com outras coisas.

Esse é o país da copa?

O vídeo dos memes

A cena é sempre a mesma do filme “A Queda – As últimas horas de Hitler”. O primeiro vídeo que vi foi sobre a briga de audiência entre Globo e Record, mas não sei se foi o primeiro. Na última semana,  tivemos toda a situação da Luiza (aquela, que está no… ah, em algum lugar). É claro que fizeram o vídeo do Hitler sobre a Luiza.

Os internautas pegam a cena, colocam uma legenda sobre ela e simulam uma conversa totalmente diferente da que o áudio mostra. Mas como é alemão, ninguém entende mesmo (risos).

Tem de tudo, e em diversas línguas.

É como se o vídeo de Hitler fosse o pai dos memes. Tudo que repercute na internet vira um vídeo de Hitler (que na verdade é o ator alemão Bruno Ganz).

Dercy foi estuprada e está grávida de quadrigêmeos

OK. Agora vamos falar sério.

O BBB teve aquele caso em que a mulher bebeu, caiu na cama, e depois sofreu algumas bulinadas do outro cara, que aparentemente estava se aproveitando da condição da moça.
Foi estupro? Foi só um pequeno abuso? Ela se ofereceu antes? Isso é realmente um crime?
Não sei. Não sou advogado.
Só sei que isso dá pano pra manga. E sei que a Globo foi conivente, e que não fez nada, e que o Boninho ainda tentou colocar panos quentes.
Não conseguiu e ainda teve que dar satisfação à polícia.
Quem mais se sujou nessa história foi a porópria Globo, e o principal motivo é um só: a transparência.
Não que a Globo tenha tido muita transparência ao longo de sua história, mas a emissora não esclareceu nada ao telespectador mais desavisado e simplesmente o expulsou alegando “comportamento inadequado”. Ainda por cima, não discutiu o assunto. Quer momento melhor que esse para colocar isso em discussão na sociedade? Olha a possibilidade de aumentar a repercussão do programa! Poderiam mostrar que estão dispostos a corrigir erros e fazer dos participantes algo como os personagens das novelas do Manoel Carlos. Podiam ajudar as muitas mulheres que provavelmente já passaram por situação parecida em algum momento da vida. Podiam discutir o feminismo. Os valores.
Mas preferem se queimar ainda mais ao se mostrarem tão receosos e omissos quanto na época da ditadura.

Vamos mudar de assunto.
Surgiu uma moça que estava grávida de quadrigêmeos e andava por aí mostrando o barigão. Ninguém jamais iria pensar que a mulher estivesse mentindo.
Mas eis que a mulher parou de aparecer. E todo mundo começou a reparar que ela se mexia com facilidade, levantava da cadeira sem esforço e ainda estava na semana 39 de gravidez, quando qualquer grávida de gêmeos tem os filhos mais cedo.
Enfim. Agora resta saber se é um caso de uma grávida estranha ou de uma mentira. Se ela estiver mesmo grávida, vai ser um caso raro. Se estiver mentindo, vai sr um caso comum. This is Brazil.

Dercy de Verdade foi uma minisérie do caralho. Adorei ouvir vários palavrões. Puta que pariu, a Maria Adelaide Amaral é foda. Tomá no cu! Falar palavrão é muito bom!

Bê-bê-bê, Telófilo e outros dizeres

“Hoje é dia de reality show, bebebê” (Cristitiane Torloloni).

É com tal citação falsa que começo a falar do reality show que não cansa de bombardear nossos inícios de ano. Já lançaram a lista de participantes, que já sofreu alterações porque dois participantes desistiram. Não acredito que tenham desistido: pra mim é tudo combinado para já causar rebuliço na imprensa desde cedo. Aliás, o segredo do sucesso do BBB é ter tudo combinado. O público não quer ver pessoas – ele quer ver personagens. E aos poucos vamos descobrindo os personagens que cada um vai viver. Quer dizer, VOCÊS vão descobrindo, já que eu não tenho intenção nenhuma de acompanhar o programa (embora eu me divirta com o “ex-tricô” comentando sobre isso).

—-

Por falar em reality show que não tem nada de realidade, tive o prazer (ou não) de assistir a trechos de “Mulheres Ricas”, da Band.

Não sejamos hipócritas em dizer que tudo tem que representar a realidade do povo brasileiro. Elas representam uma elite econômica totalmente minoritária. Gastam fábulas de dinheiro com futilidades e ainda aproveitam a imagem do vídeo para aparecer. Afinal, não basta ser rico, tem que ser famoso. O bolso cheio não é o bastante se o ego não estiver inflado.

—-

Ainda na onda dos realities, temos Amazônia, da Record. Vai ser mais um programa “de nicho” do que um reality. O público do início da madrugada que assiste o Álvaro Garnero e a Cris Arcângeli vai provavelmente ficar no mesmo horário. Resta saber que resultado o programa vai trazer à produtora Endemol, que inicia uma novidade em formato de reality e que pode usar o formato em outros países: se isso acontecer, a Record vai bradar aos quatro cantos, como já é do seu feitio.

(ATUALIZAÇÃO/ERRATA: o Reality não será nas madrugadas de sábado, mas sim nas madrugadas de domingo. Com estreia hoje: 8/Jan)

Não é “reality” mas é sucesso. Michel Teló tem que aprender inglês e espanhol pra poder ir pra Europa. Vai ter turnê. Um conjunto de sorte e boa divulgação com uma música grudenta que inicialmente era um funk. Com os “garotos propaganda” Neymar e Rafael Nadal, fica difícil de ser esquecida.

Fico irritado com as pessoas que se revoltam e criticam a música. Como se fosse a primeira música brasileira a virar “hit”. E também esqueceram da “Macarena”, que nasceu na Espanha e “bombou” no mundo todo na década de 90. E se dizem envergonhados porque uma música “tão ruim” representa o Brasil “lá fora”. Esquecem que a  Bossa Nova reina na Europa há anos, muito mais do que no póprio país de origem, ou que a Argentina gosta de Caetano Veloso muito mais do que os brasileiros parecem gostar.

Os brasileiros que se irritam com o sucesso do Teló esquecem que é o caráter do povo brasileiro, a sujeira nas ruas e as pequenas atitudes que realmente (não) dão a boa imagem do Brasil “lá fora”.

Lembra daquela vez que você se esbaldou na formatura do seu primo, depois de muito whisky com guaraná, e dançou Macarena, Whisky a GoGo e Festa (da Ivete)? Pois é… na próxima formatura o “ai se eu te pego” vai estar incluído no repertório.

Vou terminar como comecei: com uma citação falsa:

“Bíblia, Bíblia, assim você me salva. Ai,se eu te prego” (Michel Telófilo)

Uma questão de fase

A vida tem fases. E o blog acaba representando as fases da vida. Ultimamente, como vocês podem perceber, não tenho escrito muito aqui no Curyoso. Lá no Cinem(ação), em compensação, estou empolgado.

Não que haja preferência ou nada disso: é uma questão de fase.

Também não estou com a animação para escrever mensagenzinhas de feliz ano novo… apenas escrevi um texto que espero que tenham gostado.

Mas 2012 já começou. Quer você queira, que não.